sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Meu velho e bom caderno de receitas


Num mundo como o de hoje com tantas facilidades tecnológicas em que tudo é atualizado em tablets e afins, anotar receitas com capricho em um caderninho básico parece um tanto ultrapassado.
Eu mesma já desisti faz tempo de anotar receitas que acabam ficando desorganizadas em caixinhas à espera interminável de que um dia sejam usadas. Afinal, hoje só passa aperto prá fazer uma receita quem não usa o computador. Temos tudo à mão desde o mais trivial até a receita mais sofisticada. Sem falar nas receitas que a maioria das embalagens traz. É só recortar aquela que mais lhe agradar e fazer uso quando lhe aprouver. Enfim, são tantas as opções hoje para uma boa receita, que nem precisamos nos dar ao trabalho de anotar. Perdeu a receita da Ana Maria, do Edu ou da Nestlé? Rapidinho elas estão lá no site com o passo a passo tudo igualzinho ao que passou na TV.
Ah, e ainda tem os sites que oferecem o “caderno de receitas”. Você elege a sua favorita e armazena lá para consultar quando quiser.
Então, prá que caderninho? A não ser, claro gente muito bem organizada, o que não é o meu caso. Separam tudo por categoria e ordem alfábetica e armazenam em fichários ou mesmo cadernos apropriados.
Mas eu raramente faço uso de toda essa tecnologia. Tenho já o meu arsenal de receitas eleitas e aprovadas na minha pequena cozinha experimental. Está tudo lá no meu bom e velho caderninho de receitas do tempo da vovó. E sabem quem é a vovó? Claro que sou eu. Meu caderninho surrado de páginas amareladas e engorduradas já carcomido pelo tempo mostram o quanto ele já foi folheado.
Tenho paixão pelo meu velho caderninho que data da minha adolescência, época em que as mulheres eram educadas para serem boas donas de casa e passar o legado às filhas.
Desde muito cedo já começávamos a colecionar receitas a começar pelo ginásio onde tínhamos aula de “Economia Doméstica” e toda semana cada aluna devia fazer um prato experimental para toda a classe provar. Um sufoco só, escutar as críticas da professora que raramente aprovava o quitute.
E assim o caderninho foi tomando forma. Receitas da escola, de amigas, familiares, recortes colados e tantas outras preciosidades.
E foi uma dessas preciosidades que fui buscar hoje neste “jurássico” caderninho. Tenho visto tantas outras receitas de rocambole, a net mesmo apresenta centenas. Mas nunca achei uma receita igual a essa da minha cozinha experimental. Uma receita que já rodou por aí. É receita de uma amiga de infância.. Fica D+.

ROCAMBOLE
2 xícaras de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo
4 ovos
8 colheres de sopa de água
1 colher (sopa) de fermento royal

Primeiramente as claras devem ser batidas em neve com o pó royal. Deixe à espera.
Bate-se as gemas até desmanchar. Põe-se a água e bate até espumar.Coloque o açúcar e a farinha e continue a bater para formar um creme homogêneo. Acrescente as claras já batidas e mexa cuidadosamente para incorporar.
Unte a forma a óleo, forre com papel manteiga também untado e despeje a massa. Depois de assada retire o papel sobre um guardanapo úmido, retire as beiradas e recheie a gosto. Enrole com o auxílio do quardanapo, e cubra como desejar. Ou não cubra....Saboreie!!!

Bom apetite!!!

10 comentários:

  1. Eu tive um logo que casei. Ainda devo ter um pouco dele, já sem capa,rsrs É legal! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E que já não teve um desses caderninhos...São d+. As moças de hoje não conhecem esse tipo de passatempo precioso. Preferem as modernas facilidades...

      Excluir
  2. EDITE ,AMEI ESTA POSTAGEM ,POIS TENHO O MEU CADERNINHO E NÃO DIVIDO COM NINGUÉM,AS RECEITAS QUE TENHO SÃO DESDE DA ÉPOCA QUE AINDA ESTAVA NO COLEGIAL. TROCAVA RECEITAS COM AS AMIGAS DE SALA.DESDE QUE CASEI SEMPRE FAÇO AS RECEITAS DELE. AH CAPA DELE É ENCAPADA COM PANINHO XADREZ.BEIJUS E UM ÓTIMO FIM DE SEMANA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho lindo esses caderninhos encapados de paninho xadrez. Fica um charme! Uma vex encapei vários para um trabalho de artesanato com meninas. Ficaram lindos!
      Coisas que já quase não faço hoje...

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que maldade Edite, fiquei aqui morrendo de vontade de comer esses rocambole!!!

      Menina, você sempre surpreende-nos com seus textos!!!

      Eu também tenho o meu caderninho de mil novecentos e antigamente.

      Obs.: Excluí porque eu havia esquecido de colocar a palavra "surpreende"...

      Excluir
    2. Ana, vc ainda é tão jovem1 Mil novecentos e nada é om
      meu caderninho. Todo amarelado e sujinho, coitadinho. Mas não abro mão dele. Está esfarelando... Mas, o rocambole é mesmo muito bom. Acabou em 3 tempos.
      Nada como as receitas do tempo da vovó...

      Excluir
    3. Viram como a página da receita em foco está amareladinha e Já perdi a conta das vezes que fiz essa delícia!

      Excluir
  4. Caderninho bem legal esse, velhinho, parceiro!! Ótima receita! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Olá Edite! Infelizmente não consegui encontrar seu e-mail de contato.

    Meu nome é Priscilla e estou começando o projeto Lembranças Culinárias com o objetivo de reunir fotos de cadernos de receitas de família! Uma tradição tão bonita essa de escrever à mão uma receita (o que hoje em dia dificilmente fazemos por conta da facilidade da internet como você mesma disse no post)!

    Li sua postagem "Meu velho e bom caderno de receitas". Gostaria que este caderno fizesse parte do acervo do Lembranças Culinárias com um pouco da história dele. O que você acha? :)

    Facebook: https://www.facebook.com/lembrancasculinarias
    Tumblr: http://lembrancasculinarias.tumblr.com

    ResponderExcluir