segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Um bebê esquecido no carro

....19/11/2009

A temperatura subindo...O calor aumentando...O carro fechado..
E a mãe lá no seu trabalho...... tranqüila.
Segundos, minutos... horas se passam.
E o bebê lá...cozinhando, se estorricando naquele calorão, sem ar...sufocando.
Em nenhum momento a mãe se dá conta de que há algo errado. De que seu bem mais precioso pede socorro...geme até exaurir as forças...
Traiçoeiro esse nosso cérebro. Basta uma mudançazinha na rotina para ele nos sabotar.
Uma inversão nas tarefas, e acontece este “lapso de atenção”(palavras de especialistas),frutos do stress, da tensão das grandes cidades causadas pela violência, medo, insegurança....
A ordem das tarefas foi invertida e o cérebro não acusou que ainda havia uma tarefa a cumprir. A mais importante, decisiva... “É preciso levar o bebê para a creche!... É preciso levar o bebê para a creche!”.......
Mas, nada... A mãe acha que já cumpriu todas as tarefas daquela manhã antes do trabalho.
E desce do carro. E deixa ali o bebê...seu pimpolho querido para morrer lentamente com queimaduras causadas pelo sol ....asfixiado... sozinho....entregue à própria sorte.
E quando finalmente, após quase seis horas volta ao carro, fixa na idéia de levar o bebê ao pediatra, o que encontra?..
 A mãe é só dor, desespero, culpa...
Gritos! Correria! Mas não há mais tempo. O bebê já exalou seu  último suspiro...Prestaram atenção nesse detalhe? A mãe se lembrou de que precisava levar o bebê ao pediatra, mas não se lembrou de que não o havia deixado na creche!...
Traição maior desse nosso órgão de comando.. O cérebro...
Punição para essa mãe?! Não será preciso! Ela já foi punida... O  remorso e a culpa não a abandonarão jamais....
Tragédia? Fatalidade?
Por  favor, não critiquem, não culpem, não julguem essa mãe...Não foi o primeiro bebê esquecido involuntariamente no carro.Talvez não seja o último.... As estatísticas mostram os números . Preocupantes...Pode acontecer em qualquer família, advertem os terapeutas.
As informações e preocupações dos dias de hoje, a tensão diária das grandes cidades levam a um grau de stress tamanho que embotam a capacidade de raciocínio das pessoas a ponto de colocar em risco, mesmo que involuntariamente, carne de sua carne.
Que Deus tenha piedade dessa mãe....

Este texto surgiu fruto de um acontecimento semelhante acontecido em 2009.

Infelizmente continua acontecendo. Para o acontecido em Volta Redonda na semana passada, só mudam os personagens.

2 comentários:

  1. Tristeza isso. Uma tragédia pra família.Pena!! beijos,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, pode não ser a última vez...

    A vida atribulada que levamos hoje, faz isso conosco.

    Alguns têm a sorte de sofrer esse revés em uma escala bem inferior...

    ResponderExcluir