quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

É loucura....



  • É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou. 
  • Entregar todos os teus sonhos porque um deles não se realizou, 
  •  perder a fé em todas as orações porque em uma não foi atendido, 
  • desistir de todos os esforços porque um deles fracassou. 
  • É loucura condenar todas as amizades porque uma te traiu, 
  • descrer de todo amor porque um deles te foi infiel. 
  • É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo.
  •  Espero que na tua caminhada não cometas estas loucuras. 
  • Lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor, uma nova força.
  •  Para todo fim um recomeço!" 
  Antoine de Saint-Exupéry

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Bullying, provocações sem limites


     O filme que melhor retrata o tema mais polêmico da atualidade

    Recentemente fui atraída pelo título de um filme em DVD com a seguinte sinopse


  • "Jordi é um adolescente que perdeu recentemente seu pai e que, junto à sua mãe, decide mudar de cidade para começar uma nova vida.
     Em princípio tudo parece bem, mas o destino reservado para ele será umal terrível surpresa já que quando Jordi passar pelo portão da nova  escola,  cruzará sem saber a tenebrosa fronteira de um novo inferno".


Mas essa sinopse diz bem pouco perto da profundidade e seriedade com que o tema é abordaddo.
Um filme que atrai, emociona , provoca lágrimas e também incompreensão e raiva..
Parece tão simples, pensamos.
 Porque a vítima não reage? Não denuncia?
Porque os colegas de classe presenciando tanta covardia não se expressam levando o caso à direção?
No caso do filme o agressor é líder total. Todos o temem. Ninguém se atreve a denunciá-lo.
Alguns até consideram Jordi, a vítima, um fraco por permitir tais atrocidades contra sua própria pessoa. A decisão deve ser dele. Ele deve se libertar.
Fica também a pergunta: porque a escola também não percebe que algo está errado com o comportamento da vítima?
Jordi, a personagem vítima logo no início se mostrou um aluno dedicado, estudioso e inteligente. Destacou-se em Matemática o que chamou a atenção de um grupo de garotos zombadores liderados por Nacho, que era o chefe da “gangue”. Liderados por ele, articulavam as mais terríveis cenas de tortura .
Também se destacou no basquete o que logo fez com que o agressor o intimidasse e o obrigasse a abandonar os treinos. O professor até que estranhou sua retirada do esporte, mas classificou como um capricho e não insistiu muito, mesmo sabendo de suas habilidades e amor pelo esporte.
Jordi temendo novas represálias depois resolve não ir mais ao colégio. A mãe só fica sabendo que não está frequentando as aulas e também abandonou o esporte, sua paixão, quando a escola comunica seu abandono da sala de aula. Mesmo assim, ninguém percebe o porquê.
As agressões continuam. Agressões, não, são cenas de verdadeira tortura com requintes de crueldade.
Um fato que me chamou a atenção foi o perfil do agressor. Dissimulado, cínico. Como tantos que conhecemos. Mas de uma crueldade inexplicável. Eu o definiria como um psicopata.
As pessoas tem reações imprevisíveis quando sentem-se ameaçadas, como no caso do agressor que por certo temia perder seu espaço de líder, o melhor e mais respeitado da escola.
Jordi conhece pela internet uma garota também vítima de bullying. Passam a se encontrar e juntos descobrem muitas afinidades. Afinal ambos eram prisioneiros do bullying escolar.
Quando essa garota, sua namoradinha, sofre um atentado na escola onde frequenta, Jordi fica chocado e se vê mais amedrontado e acuado ainda. Durante sua visita ao hospital em  visita à garota, esta  sofre uma parada cardíaca.
Jordi se desespera. Ele também não conseguirá superar seus muitos traumas.
Está sozinho. Não pode pedir ajuda a ninguém. Então toma uma decisão trágica:
 Somente a morte o libertará!
E se atira da sacada do apartamento...

As cenas são fortes. Em determinados momentos tive ímpetos de interromper o filme.
Mas vale a pena assistir. Uma abordagem real, forte e profunda sobre bullying e que leva a muitas reflexões:
 Estão as escolas preparadas para perceber e lidar com esse tipo de assédio dentro das escolas?
Nacho, o agressor percebeu as qualidades de Jordi imediatamente. Qualidades que punham em risco sua reputação de “o melhor” da classe.
Não falharam os professores e a direção não dando a devida atenção às qualidades de Jordi? Não teriam agido com uma certa displicência?

Não assistiu? Confira!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Mais momentos Goiânia

E na manhã do último sábado que passei em casa de minha filha, , "dei folga" para o papai e a mamãe sairem um pouco pela manhã . Precisavam resolver alguns assuntos com tranquilidade. Longe das travessuras do Lucas.
 E então, quem perdeu a tranquilidade fui eu... kkkk.
 Haja criatividade e fôlego prá acompanhar esse meu bebê.
Ele adora montar lego. Toda noite o papai dispensa algumas horas para brincar com ele e juntos montam um avião bem bacana. Ele todo orgulhoso roda pela casa pilotando seu "boing"
Então agora vai a vovó ajudá-lo nessa empreitada. Ainda bem que ele se cansou logo, porque senão a vovó estaria em "papos de aranha". Não sou nada criativa com essas peças...

Então vamos ao computador. Alguns vídeos: galinha pintadinha,... patati, patatá... etc...Muita dança, palmas, alegria...


e logo fomos nós brincar de esconde -esconde. e sabem onde tive que me esconder?
Debaixo da cama... Já imaginaram eu me enfiando debaixo da cama?
 Esse meu neto?

Depois de muita canseira, ele se lembrou da mãe e a queria a todo custo.
Encontrei esse chapéu e foi o suficiente para a brincadeira continuar animada


Mas de repente, o feitiço virou contra o feiticeiro  ... e literalmente entrei na brincadeira.


Ufa! Que canseira esse meu bebê me deu. Até que enfim papai e mamãe chegaram...
e encontraram seu filhote assim  a vontade e se divertindo muito
.
Mas no domingo, ah... no domingo quem tirou folga fui eu. Que não sou de ferro...e também mereço um dia só meu...
 Almocei  com a família da Gisa e à tarde fomos prá casa da Malu...
Este é o bolo que a Gisa fez em minha homenagem (palavras dela)
 Eu fiquei toda, toda...
Saboreamos o bolo depois do delicioso pastel que a Malu e sua irmã preparou para nós.
E prá completar  a mãe da Malu, uma pessoinha encantadora, nos preparou um delicioso cafezinho.
Como o tempo estava chuvoso, passamos a tarde jogando conversa fora.
E foi muito agradável!

Valeu Malu! valeu Gisa! Valeu Goiânia!

sábado, 23 de fevereiro de 2013

memórias recentes da viagem a Goiânia

E como prometi em dias anteriores eis aqui alguns momentos de minha estadia em Goiânia na semana anterior ao carnaval

Esta é a vista da janela do 8º andar.. Todos os dias a cidade amanhecia nublada e cinzenta.  Chovia o dia todo. Uma chuvinha fina que deixava o ar bem ameno. Ma houve alguns dias em que a chuva foi forte alagando ruas e derrubando árvores, tornando o trânsito mais caótico do que o normal.


 Numa tarde de sábado fomos à feira da Lua, na praça Tamandaré. A feira da Lua é uma das mais famosas e conhecidas de Goiânia. Lá tem para todos os gostos. Uma infinidade de roupas calçados, bolsas, lingeries, acessórios e muito enxoval prá bebê.  Além também de barracas para alimentação, bolos e tortas.
Como em toda feira tem artigos de boa qualidade como também de qualidade inferior.. Itens da moda e exageros da moda. Vai do bom gosto de cada um. 

Neste sábado que fomos , chegamos logo no início da abertura, ali pelas três horas da tarde. Com o passar das horas, o pessoal vai chegando e fica quase impossível circular, tamanho é o movimento que dura até 10 horas da noite.
Vejam que lindo exemplar de calçado eu garimpei lá. Trouxe como  presente para uma amiga.E assim, nesse tipo tem várias opções, com salto, sem salto, apenas rasteirinha etc.. Muitos lojistas vem até a feira e compram por atacado para vender em suas lojas  de marca com um preço dobrado. Por isso vale a pena conferir os preços da feira.


 Também no sábado pela manhã fomos à festa fantasia na escolinha do Lucas. Não é uma fofura este meu bebê? Esse pingo de gente me deixa toda orgulhosa qdo o vejo assim tão precoce! Ah, e detalhe: ele a-do-rou a escolinha. Mamãe até ficou com ciumes, porque ele nem tiau prá ela dá quando  chega lá. Tão ansioso está em se entregar nas mãos da pro Mônica e encontrar os coleguinhas.
E ele não ficou lindo nessa sua fantasia de pirata?
Todo orgulhoso mostrava a caveira no colete. Como se entendesse do assunto... Esse meu bebê, vai longe...

Mamãe e papai todo orgulhos de seu filhote. Reparem no olhar de cumplicidade entre mamãe e filhote. Não é lindo  essa cumplicidade no olhar?









E como não podia faltar travessura, papai o colocou para escalar a árvore...
 Atravessar lugares apertadinhos e de difícil acesso é uma de suas brincadeiras favoritas. Gosta de desafios esse meu pimpolho...
e assim seguiu a brincadeira  até ao final. Ora no ombro do papai, ora ele mesmo se divertindo com aquilo que lhe chamava a atenção.
 










sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Viajando de avião


A primeira viagem de avião a gente nunca esquece. É uma ansiedade que cresce a cada dia à medida que a data do voo se aproxima.
Uma misto de alegria, ansiedade e medo na expectativa de enfrentar o desconhecido.
Lembro-me que passei vários dias pesquisando tudo sobre voos internacionais, embarque, desembarque, bagagem, aeroportos, etc. Tudo para mim era novidade.
Além do que foi preciso dar uma reciclada no meu parco inglês.
Medo de viajar de avião é comum. Conheço muitas pessoas que tem pavor de viagem aérea...
Esse medo racional eu sempre tive, assim como sempre também fico preocupada quando faço uma longa viagem rodoviária. De ônibus principalmente.
Hoje em dia o trânsito está tão violento. Muita irresponsabilidade, imprudências nas estradas.
Toda vez que viajo pra Goiânia, minha primeira opção é sempre por via aérea. Principalmente nesta última viagem com vários dias de feriados e muito trânsito nas estradas.
Eu confesso que sinto-me muito mais segura numa viagem aérea do que viajando por terra.
Na época em que fiz minha primeira viagem de avião eu confesso que fiquei um pouco mais desestabilizada do que o normal.
 Mas , pudera! Tinha acabado de acontecer aquele horrível e triste desastre com o avião da TAM em São Paulo. Eu fiquei chocada com tudo aquilo e até pensei em cancelar a viagem.
Hoje já superei todo esse trauma e viajo tranquilamente. 
Ooops!... quase tranquilamente... Na aterrissagem sempre me lembro do acidente e me vem a mente a imagem do avião atravessando a avenida e se chocando com o prédio à sua frente. Muito fogo! Desespero total...
Então cruzo os dedos e faço uma prece. Sempre penso que a aeronave pode derrapar durante o pouso.
E aquele friozinho na barriga na decolagem ah... também é inevitável.
Depois , de toda essa ansiedade na partida, é só curtir a viagem. É ler, cochilar ou apreciar a paisagem. Sempre dou preferência pela poltrona ao lado da janela.
Mesmo cruzando os dedos, gosto de ver o avião se afastando do chão ou se aproximando. Aprecio olhar pela janela nuvens fofas como algodão parecendo suspensas no ar. Gosto de olhar os acidentes geográficos lá embaixo, aclives, declives, curvas de nível nas plantações, o agrupamento de casas, os carros ....
Bem, mas a viagem a Goiânia por via aérea é tão curta. Felizmente...A maior espera é na conexão em Campinas.
Será que viajando novamente para o exterior durante o dia, serei tão corajosa em olhar pela janela aquela imensidão de água do oceano pronta a me acolher em caso de algum imprevisto?
Porque na última e única viagem que fiz atravessando o oceano, tomei um calmante e dormi a noite toda.
Corajosa eu, hein?....


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013


Minha casa...Meu cantinho....Meu refúgio

Não sei se você pensa como eu. Mas para mim “dormir na minha cama” é um dos  pequenos prazeres que  a vida me oferece.
No decorrer de minha vida já tive oportunidade de experimentar dormir em várias camas, em passeios esporádicos que fiz.. Mas quando volto....Ah! que delícia é dormir no"meu quarto", “meu colchão”, na “minha cama”. 
Que falta eu  senti  dela! Toda perfumada e fresquinha, preparada com carinho exclusivo para me receber.
Depois de 15 dias fora de casa, o 1º amanhecer no meu quarto, na minha cama, foi maravilhoso...Saboreei ao máximo este momento.
O despertar sempre tranquilo! Silencioso. Como é bom o silêncio! É bom ficar ali, aconchegada em lençóis fresquinhos obedecendo ao corpo que pede mais repouso. Era como se quisesse compensar a ausência de dias atrás. Involuntariamente meus olhos se fecham novamente e eu deixo-me ficar ali.... Curtindo aquele momento só meu.
O som de talheres na cozinha , me trazem de volta à realidade.
O banho sempre reconfortante. A água cálida! A espuma perfumada! A esponja macia! A toalha me envolvendo...
Como é bom estar em casa e poder desfrutar desses pequenos prazeres sem me preocupar em incomodar ninguém. Ficar relaxada. Dona de mim. Da minha privacidade. Do meu sossego....
Gosto dos pequenos prazeres que a quietude do meu lar oferece no dia a dia. Poder usufruir do ficar em silêncio, quieta no meu canto apenas pensando, lendo um bom livro ou colocando no papel minhas ideias.
Posso parecer egoísta quando repito sempre “minha casa’, “meu quarto”, “minha cama”, “meu banheiro”....Mas não é no sentido de posse, e sim no sentido de privacidade prazerosa que eles me proporcionam.
Sempre fui assim. Caseira. Gosto muito do “meu cantinho”, mas ultimamente esse sentimento de “apreciar ficar quieta no meu canto” tem se tornado mais arraigado.
Pode ser uma questão de idade. E se for, ótimo. Aprecio ter a idade que tenho. Além de outras vantagens, ela me trouxe a consciência de pequenos prazeres cotidianos que na juventude que  eu não vislumbrava.
Quando jovens procuramos prazeres de forma complicada, muitas vezes inconveniente. Muitos até procuram prazeres escusos. E se perdem.
Eu, felizmente não me perdi ....ainda!  Mas agora..... O que eu quero é me afogar, me perder nestes pequenos prazeres do cotidiano....


“A beleza de nossa vida está no cotidiano, nas coisas ordinárias"
                            Adélia Prado                                                  

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Voltando para casa!

Novamente online e contando as novidades

Bem, caros leitores. Literalmente , cheguei.
Há dez dias voltei de viagem , depois de 15 dias fora de casa.
Antes da viagem, alguns textos eu já os havia deixado programado. Outros, aproveitando uma folguinha do “Lucas”, me dediquei a escrever rapidamente umas palavras.
Logo que cheguei, na 3ª feira de carnaval, um rápido apagão danificou minha máquina. Fiquei 10 dez sem internet. Totalmente in off.
Mas, sobrevivi... Acreditem, foram dias difíceis.
Não que eu não sobreviva sem internet. Mas a considero muito importante nos dias de hoje em questão de comunicação e infinidades de informações.
Atualmente é praticamente impossível não usufruir da tecnologia e não gostar dela. Pois é através dela que temos rápidas informações , entretenimento, estabelecemos relações de amizades e muitas outras melhorias.
E foram justamente essas relações de amizades adquiridas aqui na net, as quais respeito muito, que me deixaram preocupada com a demora em voltar.
Afinal são vocês, meus amigos leitores, “meu termômetro” . Vocês é que regulam a temperatura de tudo que posto aqui.. Sem vocês essa página morreria. Não haveria razão para escrevê -la. São vocês a “mola propulsora deste blogue”
E eu então, estava preocupadíssima em atualizá-los, pois já andavam um pouco esquecidos devido aos dias que fiquei ausente de casa. E agora devido a essa “pane” no computador.
Considero vital uma explicação pela ausência. E então aí a têm. Espero contar com sua compreensão.


"Eu voltei... agora prá ficar. Por que aqui, aqui é meu lugar!

Bem, se não houver mais panes... kkkkk









domingo, 10 de fevereiro de 2013

E chegou o carnaval! Vamos cair nessa folia?

E fevereiro já está pela metade, no auge de sua alegria.
É o carnaval motivando as pessoas a se descontrairem caindo na folia , deixando de lado preocupações e tudo mais que possa interferir na diversão.
São cinco noites em que para muitos tudo é permitido, tudo pode, tudo faz parte do momento. As consequencias muitas vezes funestas e irreversíveis , "curte-se" depois.
Infelizmente muitos não fazem uso do discernimento e bom senso para  curtir a folia de forma saudável e sem prejuizos para a moral e até mesmo para a saúde
 Tudo depende da maneira com que cada um curte esses dias de folia.
Eu, particularmente não curto esse tipo de diversão. Não gosto de aglomerações e muita agitação.
Nunca participei dessa folia, mas gosto de ver a alegria das pessoas e curto os desfiles pela TV.
Também não vale ficar amaldiçoando  a data e reclamando  o tempo todo. Afinal  quem não curte um feriadão assim?
Se você não curte a folia, aproveite seu tempo para relaxar tranquilamente na companhia de amigos ou familiares. Leia um bom livro, curta filmes... passeie. 
 Quando tinha meus filhos pequenos sempre os levei a participar das matinées infantis.
Fícavamos eu e minha cunhada na maior empolgação juntamente com as crianças , no preparo de suas fantasias infantis. E junto com eles curtíamos aquela alegria infantil nas tardes de domingo e terça feira.
Depois de adultos eles participaram de alguns bailes carnavalescos, mas a experiência infantil não os fez amantes desse tipo de festejos.
Hoje são eles que levam seus filhos para as brincadeiras carnavalescas na escolinha. 
Tudo tão ingênuo e saudável.Que bom se no decorrer dos anos a brincadeira continuasse assim  buscando apenas um prazer descontraído e saudável. 
Sem exageros, sem  violência, sem acidentes...
Aliás, o Lucas, esse pinguinho de gente, já participou de sua primeira festa carnavalesca na escolinha.
 Todo vaidoso na sua fantasia de pirata... Ma, garanto que na sua ingenuidade, ainda bebê, não entendeu o porque de tanta barulheira e não quis saber do salão.
Preferiu ficar no pátio onde as crianças menores podiam correr soltas. ao lado dos papais e mamães vaidosos de seus pequerruchos.
As fotos, postarei depois. Este é um momento em que todos dormem. Somente eu madruguei, apesar de ser feriado e aproveitei prá deixar aqui umas palavrinhas.
Mas eu já escutei seu resmungo no quarto ao lado. A mãe deve ter feito com que dormisse novamente, mas daqui a pouco ele acorda e "meu carnaval" vai continuar animado.
Às vezes a música soa sonora alegre e animada. As gargalhadas ecoam pela casa toda num ressoar paulatino e convidativo.
 Em outras é tão irritante que fere os tímpanos...Tudo depende de seu humor e de suas necessidades satisfeitas.  A pausa para "pedir água" é durante  seu sono.
Sabem como é criança nessa idade
Nem sempre somos o maestro. Dançamos conforme toca a música...
E garanto que de qualquer forma a música tem sido animada!





sábado, 9 de fevereiro de 2013

A Campanha da Fraternidade realizada pela Igreja Católica é um projeto de evangelização já incorporado à cultura brasileira. A abertura da C F será na quarta feira de cinzas, dia 13/02.
Vemos com alegria que os temas propostos pela Igreja na realizaçaõ da C F extrapolam as fronteiras de nossas comunidades e repercutem em vários segmentos da sociedade, como os poderes públicos, nos meios de comunicação, em outras denominações religiosas, nas escolas e universidades.
Todos os anos a C F escolhe um tema para debate em nosso país.
Os temas escolhidos incidem em realidades onde a fraternidade se encontra ferida, o que traz dificuldades, sofrimento e até morte em parcela considerável de nossa população.
No entanto, nem sempre esse clamor é perceptível.
A C F põe em evidência tal realidade em vista da conversão para rejeitar esse pecado social, procurando assim despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus que busca o Bem comum.
Procura educar para a vida em fraternidade, na justiçaa e no amor, e renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, na construção de uma sociedade justa e solidária, objetivos permanentes da C F.
Reaçlizando a C F com essas temáticas, a Igreja faz que a ação evangelizadora incida nas dinâmicas sociais e testemunha perante a sociedade a sua fidelidade ao compromisso de anunciar Jesus Cristo para que “todos tenham vida em abundância” . (Jo 10,10 )

Pe. Luis Carlos Dias
Secretário executivo da C F





"Tendo como referência a cruz de Jesus Cristo, o cartaz traz, em primeiro plano, uma jovem que demonstra alegria em responder ao chamado que Deus lhe faz.
 A Igreja acredita nessa disponibilidade da juventude, nessa resposta do jovem que encontra na sua comunidade a abertura, a provocação e a oportunidade para um serviço à Igreja e à sociedade",

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

O tempo não perdoa...

Quando a velhice chega...
Quando cheguei à repartição ela já se encontrava ali.
Estava de costas no balcão de atendimento. Mas eu não tive dúvidas que a conhecia, o que ficou confirmado quando casualmente ela se virou de perfil
Enquanto aguardava meu atendimento, as lembranças foram chegando de mansinho e o passado distante se fez presente.
Ontem jovem, beleza não deslumbrante, mas com o cheiro de sexo à flor da pele, olhar brejeiro, sorriso cheio de promessas e andar bamboleante trazia inúmeros homens a seus pés.
Lares que correram o risco de se desfazer, intrigas, fofocas... Era o prato degustado nas rodinhas...das esquinas... da escola...do trabalho.
O tempo passou. Muita água já rolou... Mulheres, fortes, guerreiras concientes de seu valor, de sua dignidade superaram a humilhação. Em nome dos filhos... da família.
Hoje os filhos bem crescidos, bem orientados, bem formados. Risos alegres dos netos povoam a casa.
A velhice é um processo, natural, indiscutível e inevitável, para qualquer
ser humano na evolução da vida.
As mudanças acontecem. Quer físicas , biológicas ou psico sociais
Não há como evitá-las embora muitos recorram a tantas plásticas e outros recursos de beleza, mas inutilmente. O tempo é cruel e sempre cobra seu preço.
O troféu antes exibido como vitória transformou-se em derrota. 
Seu sorriso agora  é triste. 
O olhar não mais esconde promessas sedutoras.
 Pelo contrário , esconde a dor...
Sua pele perdeu o frescor, o corpo já não traz os mesmos atributos...
A beleza acabou, a juventude se perdeu e a família não aconteceu...

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Fartura de frutos no verão


Francamente eu estou admirada com a quantidade de frutos nesse verão.
Como moramos próximo das fazendas, chácaras e sítios a facilidade com que essas frutas chegam até aqui é impressionante.
Minha cozinha, desde o início de verão mais parece um depósito do CEASA.

Primeiro foram as melancias, com sua cor avermelhada , refrescante, doce e nutritiva.

Dizem os entendidos em saúde que a melancia possui uma substância, a glutatinona, com propriedades anti-envelhecimento.

Bem, se assim for, estou bem protegida porque aprecio muito o suco dessa fruta. E o que tenho tomado desse suco ...não está escrito! Batia litros da fruta, congelava em cubos e tomava o dia todo. Ele é bem hidratante e faz bem prá pele. São muitos os benefícios obtidos com o uso da fruta. Inclusive a proteção contra o câncer.


Bem , mas depois vieram as mangas. E haja espaço prá guardar ,consumir e até distribuir tanta manga!
A manga apesar de possuir vitaminas , minerais e fibras é uma fruta muito calórica.

Então é preciso um pouco mais de cuidado no seu consumo. Mas dá prá ser usada com moderação em saladas, que eu gosto muito e também em sucos que também é otimo. Além, claro de consumí-la in natura.







Conheci e amei provar a deliciosa lichia, a qual já valeu até um post...







Romãs, fizeram sucesso na virada do ano para aquela simpatia das sete sementes. Conhecem?
Na próxima virada de ano, passo a receita.





E agora, época das jacas.
 Gente, eu não suporto mais ver jaca na minha frente. 
Ela tem um aroma forte demais, embriagante, 
Não é fruta que me apetece, mas tenho uma amiga que ficou até doente de vontade de comer jaca.
Já satisfiz o seu desejo,claro, mas se dependesse de mim, levaria para ela todas que chegam até mim …