quarta-feira, 30 de outubro de 2013

evangelizar é preciso: Caridade/ Doação

evangelizar é preciso: Caridade/ Doação


É incrível como na net encontramos textos que são verdadeiras pérolas. Não porque são belos no sentido literário da palavra. Mas pela mensagem que nos passam, pelo que podemos refletir e nos indagar sobre nossas atitudes no cotidiano.

Às vezes temos alguns comportamentos  de doação que julgamos corretos e não avaliamos na íntegra como a pessoa beneficiada irá receber aquele gesto.
 Trabalhei como voluntária numa capela aqui em minha cidade e conheço bem esse tipo de "doação". Muitas vezes tinha-se a impressão de que  éramos receptadores de objetos literalmente  "não usáveis"
 A tudo procurava-se dar um destino correto, reaproveitando o que fosse possível. Mas Muitas peças "precisavam" ser descartadas.

Antes de "republicar " a opinião da autora do post, eu quero deixar aqui a minha: Ao fazer uma doaçaõ  para uma campanha  por exemplo, " a campanha do agasalho" não doe aquela blusa que está encostada porque está manchada , esgarçada e muitas vezes "puída" . Mas doe porque quem vai receber merece algo que vai ser bem reaproveitado e merece seu carinho e atenção. Porque merece usar algo "digno" dele.

Já vi muitas doações em que pouco ou quase nada se aproveita. Doações em que as pessoas apenas querem "descartar" aquilo que não lhes serve mais.

As pessoas precisam tomar consciência de que estão "doando não apenas o que lhes sobra , mas o  que o outro precisa'.

Vale a pena ler o texto e ver também a opinião do autor do post

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

kantinho da arte: patchwork : xicaras em tecido

kantinho da arte: patchwork : xicaras em tecido


Olá Pessoal. temos novidades aqui.

Com fotos, passo a passo e moldes. Venha prestigiar!




Gente que faz a diferença.

Gosto de falar de pessoas que fazem a diferença. De alguma forma elas me fascinam pelo que fazem, pelo olhar apurado que tem em relação ao outro, pelo desejo intenso de provocar transformações nas pessoas e no mundo.

São pessoas especiais que parecem já nascer predestinadas a fazer o bem, a abdicar um pouco de si mesmo em favor do próximo. Estão sempre atentas e suas atitudes tocam pela simplicidade de gestos que mudam mentalidades e melhoram a vida à sua volta.

Fazer a diferença é estender a mão, dar uma contribuição única no momento certo e que produz o resultado esperado..
Uma tarefa que não é fácil e exige coragem, determinação, desapego e convicção do que se pretende.
Fazer a diferença pode não ser fácil, mas  depende apenas de gestos simples e individuais que venham a desencadear ações coletivas que se transformam em comportamentos generalizados..

Foi assim com Felipe Ventura, o conhecido "menino do cofrinho"


Quem é Felipe Ventura

Assim começa Felipe contando a sua trajetória:


"Desde os meus oito anos aprendi que uma pequena ação pode sim mudar o mundo e a vida de tantas pessoas. Minha história com a AACD começou quando eu decidi doar minhas moedas ao Teleton. Era uma noite fria de 1998, e eu estava em casa, assistindo ao programa com meus pais. Faltavam poucas horas para o término do programa, e três milhões de reais para atingir a meta que construiria um novo hospital para as crianças.


Cada história que eu assistia era tão cheia de amor, união e superação, que me fez refletir a importância de nos unirmos nestas causas sociais e ajudar, seja da maneira que for. A Hebe Camargo pedia desesperada para as pessoas doarem, e esse apelo tão verdadeiro, fez com que eu pegasse meu cofrinho, que toda criança tem, e contasse na mesa da sala com meu pai


O valor era pequeno, ( apenas 75 reais )mas eu como uma boa criança, tinha certeza que de seria o necessário para atingir a meta. Insistentemente pedi então para meus pais me levarem até a TV Cultura, emissora que estava transmitindo o Teleton"


***********************                         **************************    
Hoje Felipe já conta 22 anos, portanto há catorze anos vem atuando no programa "Corrente do Bem " para a AACD ( Associação de Assistência a Criança com Deficiência" 
 Há 14 anos Felipe  arrecada moedas para a maratona televisiva do SBT, em prol da AACD. 
A cada ano, incentivado pelo animador Silvio Santos que desde sua primeira doação lançou-lhe o desafio de multiplicar "os cofrinhos" , Felipe vem cumprindo a meta.




   
Agora, Felipe faz ao longo do ano palestras em colégios para crianças e jovens com o objetivo de conscientizá-los sobre valores relacionados a solidariedade e inclusão social e aproveita para arrecadar moedas para o Teleton.

Em 2012, ele precisou reunir amigos e familiares para fazer a contagem das moedas arrecadadas – que somaram mais de R$ 25 mil!mil . Neste ano a arrecadação chegou a 35 mil reais.

E assim, uma pequena ação que começou com a quantia simbólica de 75 reais vem crescendo gradativamente a cada ano  movimentando milhares de jovens que  durante o ano não se esquecem de "rechear" com sua contribuição.

Conheça toda a trajetória de Felipe Ventura , seu trabalho de conscientização solidária e o crescente de suas doações no link abaixo

http://www.inteligemcia.com.br/95303/2012/11/08/felipe-ventura-o-menino-do-cofrinho-cresceu-da-palestras-e-quer-lancar-um-programa-de-televisao/


Informando:

A corrente do bem é um movimento criado pelo australiano Blake Beatle em 2007, inspirado na obra Pay it Forward, de Catherine Ryan Hyde e que deu origem também ao filme "A Corrente do Bem " , chegou ao Brasil em 2011 com o desafio de mostrar que boas ações são simples, rápidas e tem um  enorme potencial de transformar a sociedade.
Hoje a iniciativa está presente em 64 países com a proposta de motivar as pessoas a incluir práticas de gentileza e generosidade no seu cotidiano. 


Poderá gostar de ;



quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Começar de novo



Tomando meu café da manhã  ,logo após minhas atividades físicas, sentei-me diante da TV  como sempre faço nesta hora , com o intuito  de um  momento tranquilo e só meu.
 Este é o horário em que estou sozinha em casa e procuro aproveitá-lo ao máximo.
Tomando o café da manhã com Ana Maria Braga estava a cantora Simone, uma voz inigualável, dona de muitos sucessos, mas que há muito tempo não ouvia.
 E ali no nosso café da manhã "a três" , veio à tona o sucesso do vídeo, tema de uma  série de tempos idos, mas também de muito sucesso. 
Quem não se lembra do grande sucesso com a protagonista Regina Duarte : "Malu Mulher". Um seriado da Globo , exibido em 1979 e 
,que se estendeu até dezembro, marcando o início da década de 80. Época em que  uma mulher separada era ainda muito discriminada pela sociedade. E era essa a luta de Malu ( personagem de Regina Duarte) : em meio a questões sérias no relacionamento, uma filha adolescente  e  insegura diante de tantas discussões dentro do lar, Malu  lutava desesperadamente por uma vida independente do parceiro , um trabalho que lhe garantisse respaldo financeiro suficiente para manter a casa e sustentar a filha. 
E relembrando a trilha sonora do seriado, foi apresentado um  trecho da música do vídeo, que me fez viajar nas ideias.




Seja seu proprio sol!


imagem de arquivo

Recomeçar sempre

Quem nunca recomeçou?
Estamos sempre recomeçando. A vida exige isso de nós . Quem  se acostuma com a derrota está fadado ao fracasso. 
 A vida deve ser vivida com muito amor e esperança , de mãos dadas com a felicidade.
Num dia caímos, no outro nos levantamos. Como na natureza, a cada dia um amanhecer, uma nova esperança de que o céu vai torna-se azul novamente. 

O importante não é quantas vezes caímos, mas quantas vezes nos levantamos e traçamos novas estratégias para continuar.
  Aí está a beleza da vida. A certeza de que sempre é possível recomeçar. Gosto daquele ditado popular: "nada como um dia após o outro". Em síntese: manter a esperança, nunca desistir.
 
 Há quanto tempo eu decidi recomeçar? 
 Há quanto tempo eu resolvi gravar na pedra as coisas boas que aconteceram   comigo e  escrever na areia as ofensas e atitudes negativas que a mim foram feitas? 

 Não se trata de "esquecer"  um passado de relações conturbadas, mas sim de não permitir que lembranças más e perniciosas possam interromper  a vontade férrea de vencer.
 Recomeçar é renovar a esperança na vida, acreditar em si mesmo a cada dia. É se dar uma  nova chance .  Mudar o foco para si próprio,  buscar novos interesses, novas amizades,  valorizar o seu convívio social.

 Investir em ajudar outras pessoas, voltar um olhar mais atento ao seu redor, incluir ações voluntárias no seu dia a dia bem como dedicar-se com carinho e aparato à pequenas  atividades do dia a dia. 

Tudo isso traz um retorno  imediato. À medida que nos tornamos mais participativos e envolvidos mesmo que com pequenas causas , muda o olhar das pessoas em relação à nossa pessoa. E consequentemente também passamos a nos sentir mais seguros e produtivos, buscando sempre um crescimento gradativo. 

Esta é a beleza do recomeço. O permitir-se renovar, transformar a vida  ressequida e fria em algo belo e mais entusiasta 
Como a plantinha exposta ao sol forte que não resistiu às intempéries, mas que aos cuidados do jardineiro volta a despontar timidamente um broto verde, sinalizando esperança.
 Seja seu próprio jardineiro. Invista em si mesmo. 

imagem de arquivo

"Não importa o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde meu próprio sol, quantas vezes  seja preciso recomeçar: combinei comigo não desistir de mim"

Ana Jácomo





quarta-feira, 23 de outubro de 2013

belas imagens ao amanhecer

mas prá uma coisa o horário de verão serve:
 Levantar cedo (forçosamente) e captar estas belas imagens ao amanhecer


arquivo próprio

arquivo próprio

arquivo próprio

arquivo próprio

No horizonte o nevoeiro balança  e ao sabor da brisa mansa vai sumindo devagar.
 O sol por entre as nuvens insidiosamente tenta mostrar sua luminosidade, enquanto nuvens traiçoeiras também armam ciladas para encobri-lo.
O sol com sua luz amarelada vai surgindo devagar,  iluminando a paisagem e dourando a relva ainda molhada pelo orvalho da manhã.


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Horário de verão: ame-o ou odeie




Bem , queridos leitores, vou falar aqui de um assunto bem polêmico.: horário de verão

Andei dando uma olhada na net e encontrei muito mais pessoas que abominam esse tal horário do que aqueles que o amam
Claro que para alguns há sempre aquela ilusão de que o dia pode ser estendido em happy hours, esticadas na praia , papo com amigos e há até aqueles trabalhadores autônomos que ficam animados com a ideia de poder trabalhar até mais tarde.
Mas esquecem-se que esse benefício tem um preço alto : um levantar uma hora mais cedo , o que gera cansaço, irritação, baixa produtividade , stress e até instabilidade vascular. . Pesquisas mostram que o tal horário,  apesar de ter sido adotado por uma boa causa: economia de energia em horários de pico, causam mais mal à saúde do que o benefício gerado com a tal economia de energia elétrica.

Aliás, eu nem acredito muito nessa tão proclamada economia de energia aqui no Estado de São Paulo.
Bem cedo estamos com as luzes acesas e chuveiro ligado.para o inadiável e imprescindível banho de verão nessas manhãs quentes. Há também o gasto com o ar condicionado ou ventiladores , além da TV ligada  para ver as primeiras notícias do dia.

 Cadê a economia? Eu só vejo prejuízo, principalmente para o trabalhador e as crianças que precisam levantar ainda com o escuro.Uma mudança que gera grande desconforto e desregula todo nosso relógio biológico provocando uma mudança brusca nos ritmos do organismo humano..


Idealizado por Benjamin Franklin em 1784 e nos Estados Unidos e aplicado no Brasil pela primeira vez em 1931/1932 , tal conduta sempre gera controvérsias.
A partir de 2008 foi que o presidente Lula assinou o decreto que preconizava datas fixas para o início e término do horão de verão: Início a partir de 0 hora do 3º domingo de outubro, terminando sempre à 0 hora do terceiro domingo de fevereiro.Se a data final do horário de verão coincidir com o domingo de Carnaval, o prazo final será estendido para o domingo seguinte, conforme o decreto publicado no Diário Oficial da União.
Desde então, não há como fugir. Eu particularmente odeio o horário de verão, e começo a sofrer bem antes dele começar. Para mim é como ir para o sacrifício sem chance de “revisão de pena”.

 
Será que nunca haverá a feliz oportunidade de também ser baixado um decreto que nos livre desse flagelo? Vi na net essa notícia , que já serviu de consolo. Pelo menos tem alguém no plenário com a cabeça no lugar : 

“Tramitam na Câmara dos Deputados três projetos de lei, de autoria dos deputados Mário de Oliveira (PSC-MG), Armando Abílio (PTB-PB) e Valdir Colatto (PMDB-SC), que pretendem abolir o horário de verão no Brasil. A justificativa apresentada é que os benefícios com a redução da carga máxima de energia elétrica em horário de pico não atingem a maior parte dos cidadãos, enquanto que os prejuízos à saúde e à segurança pública afetam principalmente pessoas que precisam acordar cedo e ir à escola ou ao trabalho enquanto as ruas ainda estão escuras.”
Puxa vida! Será que isso um dia acontece?
Enquanto isso , vamos ficando iludidos com os benefícios da noite estendida,
nos acostumando com o desconforto do dia , acordando com as galinhas... e torcendo para fevereiro chegar..



Não vá embora sem comentar! Como vou saber da sua visita se você não deixar um comentário? É neste papo esticado, que acontece depois dos posts, com direito a vai-e-vem de reflexões, das réplicas e tréplicas, que a verdadeira magia do blog acontece: descobrimos novos pontos de vista e podemos aprimorar nossa visão do mundo. 
Desde Já, obrigada

domingo, 20 de outubro de 2013

kantinho da arte: ideias para o Natal

kantinho da arte: ideias para o Natal

Uau, parece que dei uma cochilada e quando abri os olhos encontrei-me perdida no tempo.
Já estamos no final de outubro? Puxa como o tempo voa! Parece que foi ontem que me comprometi a ser mais assídua com meu artesanato.  O final do ano se aproxima e muito do que "pensei" em fazer, não consegui colocar em prática.
Bem, mas vem outro ano aí,  e a meta pode ser retomada. Que bom saber que sempre existira o amanhã.  O importante é nunca desistir de seus objetivos.   .............
 .......
Continuar lendo :


 Isto é apenas uma amostra . Veja mais no meukantinhodaarte.blogspot.com

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Dia do professor: comemorando o quê?

Mas apesar de tanto a reivindicar, e pouco a comemorar, quisemos fazer uma pausa para festejar .
Festejar o que , alguns podem pensar.
Mas aí que reside uma parte do encanto dessa nossa classe de professores tão desvalorizados , mas unidos numa mesma causa.
Nos reunimos na noite do dia 14 de outubro num grande jantar oferecido pela prefeitura municipal para um encontro saudável entre professores da ativa e também aposentados.
Todos unidos num mesmo ideal: Por uma escola de melhor qualidade.

Um jantar que pode ser considerado uma manifestação das mais pacíficas, porque todos estamos conscientes  de que nossos alunos precisam adquirir habilidades e competências capazes de assegurá-los uma relação melhor com o mundo em que vivem e dessa relação , colherem os frutos da prosperidade, do amor e da justiça social.

Tudo depende de bons professores e de boas escolas.

Vejam agora bons momentos desse nosso encontro:


 Uma visão geral do salão

 abraçada com minha amiga do coração,Maria Luiza,hoje secretária da educação . Mas já tivemos uma longa caminhada, saudosa ,dos tempos das escolas rurais em que viajávamos juntas.
 Posando com o vereador Marolo e mais duas colegas: Santinha, amiga do coração e Márcia, colega de trabalho

 Minha xará Edith, Santinha, Darci, também minha vizinha e eu, claro... kkkk

E para terminar deixo aqui este vídeo tão propagado pela mídia na campanha "todos pela educação"

Uma pena que sejam só palavras... na realidade não há esse reconhecimento.


A ideia é que as pessoas reflitam sobre a importância de um bom professor em suas vidas. Aquele que ajudou no aprendizado, que auxiliou na opção da carreira, que ensinou valores importantes. Todos esses profissionais contribuem efetivamente para a concretização do direito de aprender de todas as crianças e jovens.” 

Tudo leva um tempo, mas a gente não perde a esperança... 
E lembre-se:




Não vá embora sem comentar! Como vou saber da sua visita se você não deixar um comentário? É neste papo esticado, que acontece depois dos posts, com direito a vai-e-vem de reflexões, das réplicas e tréplicas, que a verdadeira magia do blog acontece: descobrimos novos pontos de vista e podemos aprimorar nossa visão do mundo. 
Desde Já, obrigada



Vejam a 1ª parte desse post aqui:






Comemorando o dia do professor




Ontem, dia do professor foi um dia marcado por manifestações em todo país. Pelo menos umas dez ou mais cidades brasileiras foram às ruas reivindicando por melhorias na qualidade do ensino público. Temos assistido ao descaso com a educação pública desde muito tempo.


As nossas escolas convivem com problemas não só pedagógicos mas também físicos que sem dúvida deixam o trabalho do educador fragilizado.

São tantas as reivindicações para que o poder público olhe com mais atenção para aquele do qual depende uma sociedade mais sólida , construtiva e produtiva, mas que são olhadas com descaso.

Poderia seguir aqui enumerando uma série de dificuldades porque passa nossas escolas públicas nos dias de hoje. Mas as manifestações que tem havido , as greves em que muitas escolas aderiram é um sinal de que a classe não está satisfeita e que algo concreto precisa ser feito urgentemente em prol da educação.

Investir na educação é fundamental para que nossos jovens tenham prazer em frequentar um ambiente digno de suas perspectivas futuras e, onde ele realmente vá com prazer e a certeza de que ali encontrará subsídios para sua formação.


Não é o que acontece nos dias de hoje na maioria das escolas públicas marcadas pela violência, desrespeito e ambiente inadequado. O jovem vai para a escola já desmotivado porque não encontra um ambiente escolar preparado para recebê-lo.

O leitor poderá ter uma visão ampla de como anda nossas escolas visitando o site abaixo:





Notícias sobre as manifestações e reivindicações dos professores.




. Parabéns a todos os profissionais da educação que labutam arduamente pelo avanço do ensino visando à transformação da nossa sociedade. Infelizmente, nem sempre seu trabalho é reconhecido pelo poder público.



 Importante:
 
Não vá embora sem comentar! Como vou saber da sua visita se você não deixar um comentário? É neste papo esticado, que acontece depois dos posts, com direito a vai-e-vem de reflexões, das réplicas e tréplicas, que a verdadeira magia do blog acontece: descobrimos novos pontos de vista e podemos aprimorar nossa visão do mundo.
Desde já , obrigada.





segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A corrente do Bem : resenha do filme



Um filme que emociona e que nos faz refletir sobre nossa postura diante do próximo, pensar em nossos sentimentos e ações que gerem realmente transformação na sociedade.
O filme , inspirado na obra “Pay it Forward” de Catherine Ryan Hyde tem forte apelo emocional na mensagem subscrita em que transmite: “você pode , se quiser, mudar o mundo”.
Um elenco “oscarizado” protagoniza a trama cinematográfica:
Kevin Spacey (Oscar de melhor ator), como professor Simonet
Helen Hunt ( também já premiada) como Arlenne, mãe de Trevor( Joel Osment, Oscar de melhor ator pela protagonização no filme “Sexto Sentido”)faz o papel do estudante e filho de Arlene com Rick ( Bom Jovi) que faz uma pequena , mas importante, participação.

Resenha:

Trevor (Joel Osment ) frequenta a turma da 7ª série. No início do ano a classe se vê diante de um novo professor de Estudos Sociais diante do qual a classe tem um impacto frente aos questionamentos que o professor faz. 
Em conversa com a classe ele leva os alunos a refletir sobre : “ o que o mundo espera de vocês?”. E se quando forem adultos se decepcionarem com o que o  mundo possa lhes oferecer? Pode não ser aquilo que esperam.” 
Diante da perplexidade de alguns e displicência de outros ele lança um desafio: “ "Observar o mundo à sua volta e encontrar soluções para aquilo que não gosta” Em resumo: “Consertar o mundo”.

O professor jamais imaginou que algum de seus alunos fosse levar a proposta a sério. Mas Trevor precisava “consertar” muita coisa em sua vida. Como ele mesmo diz na trama. 'É possível consertar algo mais que sua bicicleta”. 


 
Com pais alcoólatras, sendo que o pai se ausentava por longos períodos e quando voltava era a motivação para Arlene sair da abstinência que vinha tentando há tempos. Um dos temores de Trevor era a volta do pai para casa.
A proposta de Trevor é simples, segundo ele imagina “ Se alguém faz um favor a uma pessoa, algo importante que a pessoa não ´possa fazer sozinha ,repassa esse gesto a mais três pessoas, a corrente se multiplica”. 



 
Começa a colocar seu projeto em prática a partir de um mendingo que chama sua atenção no caminho para casa, ao vê-lo revirando o lixo para buscar seu alimento.
A partir daí a trama se desenrola, as boas ações vão se multiplicando, mas sem o conhecimento de Trevor que tem a sensação de que seu objetivo não está sendo alcançado. Uma série de pessoas se envolve na corrente ,inclusive sua mãe , o professor e sua avó também alcoólatra. E moradora de rua.
O que o menino não imaginava é que a corrente fosse chegar tão longe a ponto de atrair a atenção de um repórter , esse também beneficiado pela corrente . Instigado pela boa ação que recebera não descansa até encontrar a origem da mesma: Trevor
O final é inusitado e sempre me emociona a cada vez que assisto. Vale a pena conferir.


A proposta do filme é bem clara;
O impacto social de uma boa ação, um gesto de carinho, uma gentileza gera um fator multiplicador de bem estar social.
Como no filme, se cada um de nós nos propusermos a ajudar aqueles que necessitam, a corrente crescerá rapidamente. Gerando transformações. Como disse Trevor ao ser interrogado pelo repórter sobre o porquê disso tudo e ele responde: “Porque a vida não precisa ser assim, uma merda”
Em outro momento ele diz: ” ...mas as pessoas desistem e quando isso acontece todos saem perdendo!”






sábado, 12 de outubro de 2013

UMA REFLEXÂO SOBRE O DIA DA CRIANÇA



Hoje, dia da criança. Dia de festa e muita alegria . As crianças são lembradas com doces e presentes. Na escola, a semana inteira foi de comemorações. Válido? Claro que sim. Da mesma forma que se comemora dia das mães, dia dos pais e outras datas, nada mais justo que a criança também tenha seu dia a ser lembrado. Mas tem uma coisa que me incomoda nestas comemorações.
Não quero parecer reacionária ou saudosista, fazendo comparações com “dia das crianças do passado” e “dia das crianças contemporânea”. Os tempos são outros. As crianças de hoje vivem uma realidade diferente e tem outras exigências. Mas não se diferem no quesito formação. Sempre foram e sempre serão nossos futuros cidadãos, crianças hoje, homens amanhã. 

Nelas está a esperança de um futuro melhor. Parece pesado colocar assim tanta responsabilidade nas costas de seres tão indefesos. Mas acontece que a responsabilidade é nossa, os adultos , dos quais depende sua formação.
Crianças são seres delicados incompletos psico, emocional e educacionalmente falando. E se não formos nós os adultos a incutirmos nelas valores em que o “ser” suplante o “ter” , que adultos teremos futuramente a não ser seres egoístas e individualistas , competitivos e nada cooperativos?

A criança de nossos dias é constantemente bombardeada quer dentro do lar ou fora dele por mensagens publicitárias que vendem a falsa ideia de que o indivíduo para ser aceito ou ser feliz é preciso adquirir esse ou aquele bem.
Vivemos numa época consumista. Estive no comércio da cidade vizinha na semana passada em plena segunda -feira pela manhã. 

Fiquei perplexa com a quantidade de mães acompanhadas de seus filhos à procura de algo que os agradasse como presente para o dia da criança. Pessoas de classe média baixa, início de semana... Confesso que me deixou um pouco reflexiva sobre que tipo de cidadãos estamos formando para o futuro.
 
E assim é hoje em nossa sociedade. Todos querem ter. Todos querem se igualar em questão de possuir.
Além de brinquedo, criança precisa de olhar, de afeto, de acolhimento..
É preciso cuidado para não trocar o afeto pelo brinquedo. Que tal, além da corrida ao shopping programar um passeio lúdico com seu filho onde ele possa partilhar com a família ou amigos emoções diferentes que resgatem valores como fraternidade , amizade e respeito?
Pais, Escolas, igrejas... reflitam recriem...

Andei pesquisando em alguns sites e descobri umas ideias geniais que já estão sendo aplicadas em alguns lugares do país. É só clicar no link abaixo;

e aqui, veja o projeto “Comemore o dia da criança de um jeito diferente”

Também há um vídeo aqui http://www.youtube.com/watch?v=p6Doowk-fv8
sobre como a criança participar de uma troca de brinquedos. Trocando o seu brinquedo, ela pratica o desapego e adquire um outro de outra criança que também se reeduca contra o consumismo exagerado e aprende a partilhar.







quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Superação


 
foto google



 nosso poder de conquista

Hoje o programa “encontro” de Fátima Bernardes trouxe-nos exemplos de superação.
Observando Edson dançar capoeira ou samba com extrema maestria, pus-me a pensar em quantas coisas incríveis somos capazes de fazer desde que nos motivemos a isso. É o querer viver, como disse o autor da proeza., é o amar a vida, o aproveitar as oportunidades que ela coloca a nosso dispor.
 É aproveitar uma segunda chance, que a vida nos oferece, aliada à boa vontade e um entusiasmo intenso.
O entrevistado era Edson Dantas , um ex cobrador de ônibus que viu sua vida mudar inesperadamente. Em 1992 ele sofreu um grave acidente de trem e teve sua perna amputada..
São as surpresas, os imprevistos que a vida nos prepara.
Edson passou por um difícil período de recuperação e houve momentos em que pedia a morte. Era preferível morrer do que continuar preso a uma vida agora sem sentido e cheia de limitações. Até a opção de usar uma prótese era recusada.  Sentia vergonha e se considerava uma aberração perante a sociedade. O preconceito morava dentro dele e não com os outros.
Depois de muita conversa,  terapias e acolhimento de parentes e amigos, conseguiram convencê-lo a deixar as lágrimas de lado e continuar a caminhada mesmo que dentro de sua limitação.
A família e os amigos foram muito importantes nessa fase difícil de sua vida. Juntos compraram uma prótese de moderna tecnologia e após a aquisição da mesma a vida de Edson mudou. Hoje ele dança, joga bola e capoeira. Sua vida está totalmente voltada para o esporte.
Sua meta para 2016 é o triatlo.
A historia de Edson é apenas uma das poucas histórias que nos serve de inspiração em momentos difíceis. É no esporte onde encontramos os maiores exemplos de superação, principalmente na época dos jogos paraolímpicos.
Muito conhecido também o caso do modelo e piloto Ranimiro , praticante de parapente, esporte no qual também perdeu um dos membros inferiores. Mas depois de muita luta interior, muito recolhimento veio a superação e a vida continuou .Após uma difícil fase de recuperação voltou aos esportes.
A história também nos relata o caso de Beethoven, que mesmo surdo continuou a compor . Grande parte de suas obras datam de seu pior período de surdez.
Nos dias atuais, atuando na área da musicalidade posso citar como exemplo Andrea Bocelli, cantor de ópera e música erudita e vítima de glaucoma congênito ,culminando com  a cegueira total aos 12 anos .
Todos são exemplos de superação. São pessoas que não se contentam apenas em existir. Elas querem “Sentir-se vivas”. E para isso utilizam as ferramentas de que dispõem e fazem acontecer. Vão muito mais além daquilo que imaginamos que sejam capazes.
Não vivem somente para si, mas para deixar bem evidente a capacidade de superação do ser humano.

foto google



Conheça a história de Ranimiro no link abaixo


Veja a história de Edson Dantas aqui

domingo, 6 de outubro de 2013

kantinho da arte: Reciclando e ...presenteando

kantinho da arte: Reciclando e ...presenteando




Reciclando e ...presenteando

E hoje eu voltei trazendo mais umas novidades prá vocês. Tenho tentado no meu dia a dia não procrastinar tanto. Mas a maioria das vezes o dia passa e eu não consigo colocar em dia minhas atividades de artesanato. Não que as outras ocupações sejam mais importantes que meu artesanato. Mas muitas vezes elas não podem ser adiadas. e eu já resolvi que não quero me atropelar. O artesanato para mim tem que ser motivo de prazer e não de estresse. Eu amo produzir as pequenas peças que faço, mas vou fazendo aos poucos.Devagar eu chego lá.
 Quanto consigo deixar uma peça pronta  fico imensamente satisfeita e grata a Deus por me proporcionar sensibilidade e habilidade com as mãos para o pouco que produzo. 
 Esta é apenas uma amostra. Veja mais  novidades clicando aqui.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Você é velho ou idoso?

Dia Internacional do idoso

Bem, hoje dia internacional do idoso eu não poderia me abster de deixar aqui umas palavrinhas sobre essa “juventude acumulada” de nossos dias.
Eu não consegui definir ainda quando uma pessoa é considerada idosa. Segundo a sociedade preconiza , beirando os 60 anos a pessoa já é apontada como idosa. Mas segundo o estatuto do idoso os direitos nele assegurados são válidos para aqueles com 60 anos ou mais. No dia a dia, passou dos 50 já é apontado como idoso.
Mas , o que importa não são os anos acumulados numericamente e sim a vida que a pessoa coloca nos anos.Eu, particularmente ainda não encontrei o meu lugar nessa classificação. E assim como eu, quantas pessoas com seu anos acumulados e tão prontos ainda a aprender e a ensinar! O corpo fala de números , mas a cabeça e o espírito fala de vida , de otimismo e boa vontade. Vejo em muitos aquele olhar de brilho e busca por melhorias em qualidade de vida e melhor interação social.
E é isso que me encanta nessa geração de velhos de nossos dias. Temos visto a cada dia mais as pessoas saírem de seu conforto no sofá ou frente de TV a buscar algo mais que dê prazer e deixe a vida mais interessante.
Quando se começou a falar em terceira idade o que tínhamos eram os bailes de 3ª idade procurado por tantos e abominado por outros.
O velho jogo de cartas nas tardes com os amigos também eram os mais procurados. O idoso era visto como aquele apenas apto para dançar ,jogar cartas e viajar. Afinal, o que mais se esperava deles?
Hoje uma reportagem chamou-me a atenção. Mulheres idosas de 60, 70 anos ou mais praticando luta de boxe.
Eu, confesso que fiquei ali boquiaberta. Eu não conhecia essa modalidade de esporte para idosos. Sei, claro, que hoje as mulheres mais jovens aderiram a esse esporte, talvez com a finalidade de modelar o corpo ou perder peso. Uma vaidade pessoal.
Mas, segundo o depoimento das nossas “idosas” ali frequentando, elas estão é muito satisfeitas com a prática desse esporte. Disse o professor que o boxe deve ser visto como um esporte que trará benefícios à saúde e não apenas como um esporte violento. Trabalha a parte respiratória , aumenta a resistência do corpo e do sistema cardiovascular.
Bem, eu não sei se eu faria um esporte tão radical assim como boxe ou voar de asa delta. Sou mais contida. Mas que todos nós já sabemos e está comprovado pela medicina é a necessidade do idoso procurar sempre estimular não só o corpo através de atividades físicas dentro de seus limites, como também exercitar a mente, manter proximidade com outras pessoas. Enfim, fugir do isolamento
.

Envelhecer não é um processo fácil, muitas vezes causa depressão, desânimo, pois as pessoas vão sentindo que não tem mais valor para o trabalho, nem para seus entes queridos e familiares.
Daí a importância do convívio social , fazer parte de programas de integração social, praticar atividades produtivas.
Finalizando quero dizer que essa nova geração de “Idosos” veio prá ficar, desmistificar tabus de que ao velho nada mais resta a não ser amargar sua velhice. 
Veio para transformar e encarar essa nossa sociedade preconceituosa e que ainda desrespeita o idoso em seus direitos adquiridos pelo estatuto, uma das grandes conquistas.
 Veio pronta para enfrentar novas oportunidades seja de melhor qualidade de vida ou mesmo de trabalho.

Está nossa  sociedade pronta para conviver esse novo velho?



Outros títulos abordando "envelhecer"