sábado, 30 de agosto de 2014

Claridade santa!





Amanhece!
Por trás da paisagem seca vejo a claridade que se insinua timidamente.
Um novo dia vai clareando com toda sua magia e com toda sua graça
Pequenas nuvens, mistura de cores sutis , pássaros que passam...
Tudo num suave encanto, expressão de puro amor.
Tudo é revelação!
E quase sem querer também nasce uma prece:

" Majestoso dia que surge
Manhã santa que me encanta e me traz na sutileza das cores
sensação de bem estar que invade todo meu ser
Claridade Santa que me  me traz
nas suas cores sutis, também  a presença de meu Deus

Obrigado , Deus, por mais este amanhecer!"

" A maior glória das almas que desejam participar na obra de Deus , será transformar-se em LUZ na estrada de alguém"

*************************************************************************************************************************
Olá Pessoal 

Estou com a casa cheia. Visita dos filhos e netos. Um grande encontro se realiza aqui em casa nestas duas últimas semanas. 
 Encontro de pais e filhos, netos e sobrinhos . Dois continentes se encontram  após dois anos de ausência. Alemanha e Brasil... Hj chegam os filhos e netos de Goiânia para fechar o encontro com chave de ouro.
Prometo colocar em dia as visitas  aos blogs amigos assim que puder.... Enquanto isso vou continuar apenas dando umas fugidinhas aqui e acolá... 
Conto com sua compreensão. 
Até mais... 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Vivendo no luxo!



Já estava anoitecendo quando tocaram a campainha no portão de casa.
É uma característica do inverno escurecer mais cedo e a temperatura ir caindo com o passar das horas.
Mas aquela senhora que bateu no meu portão estava totalmente desprovida de agasalho .
Chinelo nos pés, uma pequena sacola pendurada em uma das mãos, timidamente pediu-me um prato de comida.
Quando me dispunha a ir providenciar algo para seu jantar, um pouco reticente pediu-me também um cobertor. 

 "Pode ser um trapo, disse-me ela. Apenas algo prá gente cobrir o corpo durante a noite"

Perguntei se havia crianças, e ela disse que felizmente não. Eram somente ela e o marido. Tinham acabado de chegar da cidade vizinha, ela completou.
Não entendi bem onde estavam alojados. O fato é que estavam desprovidos de acomodações dignas.
Supridas as suas necessidades do momento e ela se foi em meio a mil agradecimentos.
Dali a pouco, eu a caminho da praça, a avistei de longe, batendo também em outras portas.
A noite foi tranquila, aconchegante ! Lençóis limpos macios e perfumados...
Pela manhã, pão com manteiga e café com leite bem quentinho  me esperavam.. A geladeira abastecida era convite para um lauto almoço.

E a senhorinha, por onde andaria?
O cobertor que lhe servi teria sido suficiente para aquecer o frio da madrugada?
Café da manhã? Leite, pão, manteiga???
Teria se dado por satisfeita se lhe sobrasse uma xícara de café quente para aquecer os membros entorpecidos pela noite mal dormida.

Então a minha mente clareia e percebo nitidamente o luxo em que vivo. Alguns podem até ter mais do que possuo . Mas o que tenho me ajuda a visualizar a vida ao meu redor. Satisfaço-me com o que possuo e através dele consigo também distinguir a precariedade de tantos outros.

Ana Miranda , uma querida amiga tem uma sábia definição de luxo:

Luxo para mim,é saber dar valor às pessoas boas que passam por nossa vida; luxo é ser solidário, pensar no outro; luxo é reconhecer quando a vida nos sorri e não ficar reclamando; luxo é saber ser feliz, porque a felicidade bate em todas as portas e não tem culpa se algumas pessoas recusam-se a abri-la; luxo é cultivar amizades, mesmo que virtuais, ; luxo é ver a beleza onde ela se esconde; luxo é simplesmente SER. O resto é consumismo, supérfluos, felicidade passageira, e para quem não sabe aproveitar, luxo nada mais é que lixo “


23/08/14 19:33:30

sábado, 23 de agosto de 2014

Jasmineiro em flor






Caminhando pela periferia da cidade eu me deparo com o jasmineiro em flor.
Em meio ao pasto ressequido as flores parecem gritar que mesmo em terreno árido flores perfumadas podem desabrochar.
Assim tbm corações endurecidos podem passar por transformações e dele brotar flores para então disseminar a paz e fraternidade.
 
Sejamos como o jasmineiro em flor.
Mesmo por entre terrenos áridos levemos a fertilidade do amor para assim disseminar a paz, fraternidade  e a esperança. 


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Pássaros...


Caminhar ao entardecer sempre me proporciona momentos únicos
O céu está azul , sem nuvens, mas uma leve fumaça cobre o horizonte. 
Não há sinal de sol. O ar está empoeirado...
 De repente  por entre o matagal uma revoada de pássaros com seu trinado estridente surge alegrando a paisagem...

Não sei o que eles cantam...não sei o que conversam...
Apenas fico ali encantada a apreciá-los
 tão disciplinadamente empoleirados nos fios elétricos...
Pássaros equilibristas natos...
Pássaros  que desafiam a lei da física...
Pássaros que nos inspiram
e nos passam uma bela mensagem:
"Que tenhamos a coragem e determinação para "voar"  livremente
 mesmo que por terrenos inóspitos!

 




terça-feira, 19 de agosto de 2014

Família, presente de Deus

Encerrando neste domingo passado a Semana Nacional da Família  deixo aqui algumas considerações sobre este momento tão importante na nossa Igreja.
 Momento em que toda a comunidade faz uma pausa para rever conceitos  e reforçar valores   em todos os sentidos , valores que norteiam o bom conduzir de uma família.
marcha pela paz nas famílias, domingo pela manhã

" A família é um bem necessário para os povos , um fundamento indispensável para a sociedade e um grande tesouro para os esposos durante toda sua vida.É um bem insubstituível para os filhos que hão de ser o fruto do amor, da doação total e generosa dos pais "    ( Bento XVI )

Como primeira escola de vida é carregada de grande significado. É ali , na família que se aprendem as grandes lições de amor, companheirismo, respeito e solidariedade. Valores esse que irão guiar o caminho dos filhos  em sua caminhada na vida.

Vivemos hoje, dias em que o trabalho, compromissos extra lar vem requerer muito tempo das famílias. Fator esse que acaba por gerar lacunas nos relacionamentos.

É preciso estar atento a essas necessidades,não se descuidando do cuidado afetivo e diálogo com os filhos , o que poderá ser desastroso.
Tristemente assistimos hoje o desagregamento de tantas famílias que parecem a cada dia mais se perder  em caminhos  enganadores , acabando por encontrar depois do prazer imediato, apenas a dor e o sofrimento.
A igreja acredita na força da família. Ela ainda é a "célula mater" da sociedade e devemos cuidar para que não  resvale numa decadência  perigosa.

É grande a importância da família para a construção de uma sociedade estruturada, saudável e equilibrada.
A família continua sendo sem dúvida a base. Se a base for desestruturada, automaticamente estaremos construindo uma sociedade doente e desequilibrada.
bênção das crianças, o futuro da sociedade


Família, fonte inesgotável para o mundo, porque gera virtudes humanas, cristãs e sociais.



sábado, 16 de agosto de 2014

As rasteiras que a vida nos dá...


Ultimamente tenho presenciado acontecimentos próximos a mim, que acabam por deixar por dentro um grande ponto de interrogação.
Tudo está caminhando bem, projetos engajados, vida profissional e familiar dentro da normalidade. Claro que sempre pequenos problemas haverão de surgir no dia a dia. Afinal, nem tudo é perfeito. Mas tudo se encontra praticamente sobre controle.

É reconfortante saber que estamos dando o nosso melhor para realizar sonhos importantes. É o projeto da casa própria, a faculdade do filho, a viagem dos sonhos com a família, uma promoção no trabalho., um cargo almejado há tempos...
Mas de repente , vem a vida e nos passa uma rasteira. Do nada, sem aviso prévio aparece uma doença que leva o pai de família para o hospital e em menos de um mês ele é arrebatado do seio familiar.
É como se a vida fosse um estalo... "uma gota... um tempo que nem dá um segundo" , como canta Gonzaguinha. 
 Estamos aqui hoje, e amanhã não se sabe...

Ultimamente temos presenciado através dos noticiários a incidência de vários acidentes aéreos. Vidas ceifadas de forma imprevista e trágica que mexe com nosso emocional .
O acidente que tirou a vida do presidenciável Eduardo Campos e mais seis outras pessoas, vem novamente mexer com minhas certezas.
Teria cada um de nós um destino? Seria certo aquela sabedoria popular que diz  “ o que você tem que passar, outro não passa em seu lugar” . Estaria tudo realmente “escrito nas estrelas”? O que levou a ex-senadora Marina Silva mudar de planos no último momento? Não seria mesmo o “dia dela”?

Tudo tão rápido, tão imprevisível. Fico pensando nas famílias vitimadas. O presidenciável Eduardo Campos feliz com o nascimento de seu 5º bebê, almejando a presidência, família feliz e bem estruturada... 
Mães que receberam a notícia pelo noticiário, outra que precisou fugir pela porta dos fundos do trabalho. A imprensa não perdoa, não respeita momentos de dor. O que manda é o furo de reportagem... 
A esposa de uma das vítimas e sua gravidez ... e por aí vai.
De repente tudo ruiu... silenciosamente para os que ficaram... em meio a estrondo e fogo pelos que se foram...

Anônimos ou celebridades, todos estamos sujeitos a essas rasteiras da vida. Imprevistos que derrubam, interrompem sonhos .
 Num piscar de olhos a vida pode mudar de forma definitiva. 
Somente o tempo aliado a apoio de amigos , familiares e até profissionais terapeutas além da fé e confiança em Deus, podem ajudar a manter o equilíbrio. 





Nossas preces de consolo e conforto, a Deus, pelos familiares que tiveram seus entes queridos arrebatados deste mundo dessa forma tão trágica e imprevista.
 A Eduardo Campos e todos os outros, Que Deus os guarde na palma de suas mãos.
*******************************************************************************

 Canção de Gonzaguinha

o que é, o que é”



E a vida
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é?

Meu irmão

Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Cuidado com suas atitudes!

“A franqueza não consiste em dizer tudo que se pensa, mas em pensar em tudo que se diz”

Eu ontem presenciei uma cena que me chamou a atenção . Duas pessoas em conflito onde uma esbravejava na cara do outro tudo que lhe vinha à cabeça.
Não tiro e não dou razão a qualquer dos envolvidos. Afinal creio que ambos deviam ter lá seus motivos para tanta exaltação.
Foi então que me lembrei de uma frase assim: “Não é necessário dizer tudo que se pensa, mas é necessário pensar em tudo que se diz”.

Em situações assim de extremo estresse as pessoas perdem por completo o controle e acabam dizendo coisas que ferem tão profundamente e só depois de acalmados os ânimos é que compreendem o exagero de suas agressividades.
E se tem uma coisa que não volta atrás é a palavra proferida.
Por mais que bata o arrependimento que sejam feitas tentativas de desculpas o coração magoado dificilmente se recuperará. Ficará sempre uma cicatriz que manchará aquela relação.

Gosto daquele exemplo da folha de papel amassada. Nosso coração pode ser comparado a uma folha de papel. Depois de amassada, mesmo desamassando-a ela jamais será a mesma. Sempre restará marcas.
A impressão que deixamos na folha de papel será difícil de apagar. Então cuidado com a impressão que deixará nas pessoas.
Tem também aquela outra comparação com pregos. Depois que batemos um prego em algum lugar, podemos arrancá-lo, mas sua marca ficará ali como uma ferida aberta. Assim acontece conosco também. Palavras mal proferidas deixam marcas, causam destruição em nosso coração.

Cometemos muitas vezes esse erro em nossas vidas, falamos muito e pensamos pouco e com isso magoamos, e ás vezes muito, as pessoas a nossa volta.
È comum ouvirmos pessoas dizerem sobre si mesmas num misto de orgulho e gabolice: “É isso aí, disse tudo que pensava. Não levo desaforo para casa”
Mas também tem aquela outra frase que assim diz: "Quem fala o que quer, escuta o que não quer”.



Fale sempre que precisar, defenda-se , não se subestime. Mas também não subestime a pessoa do outro. Exercite a compreensão e a paciência. Que suas palavras possam ser tão suaves como o silêncio”
25/01/1321:04:38

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Deus me fala no silêncio



Vasculhando meus arquivos em busca de algo que nem me lembro mais, abriu a página de arquivos do Word Pad    e lá encontrei esse texto antigo , como mostra a respectiva data.
Lembrei-me então que em certa ocasião , um grupo de catequistas lançou um desafio a cada membro para que se escrevesse um texto com determinada palavra.  A mim , coube a palavra "SILÊNCIO"
A princípio eu recuei um pouco, pois não sou de escrever textos "sugeridos", digo, por encomenda.Gosto de ter minha própria inspiração de momento.
Curiosamente , depois de alguns dias em que já pensava em desistir da proposta, abri a janela pela manhã e a inspiração veio.
Palavras simples , mas que vieram do coração, as quais transcrevo aqui.
****************************************************************************
arquivo pessoal

DEUS ME FALA NO SILÊNCIO

É de manhã! Muito cedo ainda...
Abro a janela e uma brisa fresca invade meu quarto, acariciando meu rosto...
Permaneço ali alguns momentos inebriando-me do frescor da manhã.
O SILÊNCIO me toca profundamente.
É bom ficar ali numa atitude contemplativa do universo e seu Criador.
Apenas o som de um ou outro veículo que passa ao longe.
E então me entrego àquele SILÊNCIO captando a presença de Deus ao meu redor.
À minha frente percebo um leve movimento por entre as folhas do abacateiro frondoso. Passarinhos se agitam ao amanhecer...
Da mangueira mais ao fundo não vejo o movimento. Apenas ouço a barulheira alegre e cantante de outros pássaros saudando a manhã.
Acima, o céu azul, límpido e claro... A lua que se ergue altaneira ainda não ofuscada pelo brilho do sol. Tudo me remete a uma paz infinita.
Permaneço alguns minutos curtindo a paisagem... Ouvindo o som dos pássaros... A brisa mansa... O farfalhar quase imperceptível das folhas das árvores... O céu como teto... A imensidão do universo.
Tudo me fala de meu Deus... É Deus se manifestando nas coisas simples e belas da natureza.
Impossível não sentir sua presença... Impossível não se curvar em adoração... Impossível não se dobrar em oração...
É Deus falando no SILÊNCIO do meu coração...
23/12/2011  23h49min
*********************************************************************************

TEM postagem nova aqui


Talvez você goste da colcha em patch colagem que fiz para as netas.
 Confira! Basta clicar
 http://meukantinhodaarte.blogspot.com.br/2014/08/colcha-infantil-em-patch-apliquee.html

.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

contemplando o entardecer



imagem de arquivo próprio


A cada fim de tarde o céu ganha novo tom
mistura de cores, mistura de pensamentos
Entre todos ,um só se delineia com clareza
"a esperança de também contemplar um novo amanhecer".



domingo, 10 de agosto de 2014

Manhã nublada e fria

 
foto de arquivo próprio

Manhã nublada e fria. Natureza desolada. Tudo parece mais triste silencioso e deprimente nesta manhã de domingo.

Culturalmente, domingo é o dia comumente chamado de dia do descanso , ou da “preguiça” para os mais ousados.

Se em dias úteis já fica difícil pular da cama de um salto só, neste inverno que castiga, imagine então em dia de domingo, onde deve predominar um levantar vagaroso, tranquilo, relaxante.

Espreguiçar-se, virar prá lá e prá cá entre os lençóis, ou melhor, entre cobertores faz parte da rotina. Vigora a “lei dos cinco minutinhos” a mais. Sem problema, se os “5 minutinhos” não acabassem se transformando em mais 5 e mais 5 … até que não dá mais para adiar o levantar. E então, com determinação lançamos de um salto só da cama.

Sem uma chuveirada bem quente não há como mandar para longe essa friagem. Uma xícara de café quente e lá estou eu na rua a enfrentar também a neblina mesclada com uns chuviscos.


A capelinha da periferia estava lotada , prova de que muitos outros também não hesitaram em enfrentar o frio rigoroso da manhã domingueira para sua demonstração de fé na participação da missa dominical.


Ali , no calor daquela capela todos unidos em oração sentimos o calor que flui de dentro de cada um de nós motivados pelo amor do Ser Supremo: Deus.


É tempo de amar com sinceridade

De abraçar sem fingimento e falsidade

andarmos sempre de mãos dadas

não deixar o mau prevalecer,

enfim, deixar Deus agir com seu poder”


escrito em 27/7/2014







sexta-feira, 8 de agosto de 2014

HOMENAGEM PÓSTUMA: À minha mãe




 Retornou nesta quarta-feira, 06/8, para os braços de Deus, minha mãe , aos 97 anos de idade
 após 20 dias de internação , onde houve complicação do quadro clínico.
Meus agradecimentos a todos aqueles que comigo estiveram neste momento, quer em presença  física ou em oração.
Descanse em paz , minha mãe!

"E quando amanhecer e no horizonte eu não te ver
Vou me lembrar de ti , como um belo amanhecer"

A MORTE NÃO É NADA - 
autoria atribuída à Santo Agostinho
 
A morte não é nada.
Apenas passei ao outro mundo.
Eu sou eu. Tu és tu.
O que fomos um para o outro ainda o somos.

Dá-me o nome que sempre me deste.
Fala-me como sempre me falaste.
Não mudes o tom a um triste ou solene.
Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos.

Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo.
Que o meu nome se pronuncie em casa
Como sempre se pronunciou.

Sem nenhuma ênfase, sem rosto de sombra.

A vida continua significando o que significou:
Continua sendo o que era.
O cordão de união não se quebrou.
Porque eu estaria fora de teus pensamentos,
Apenas porque estou fora de tua vista?

Não estou longe,
Somente estou do outro lado do caminho.
Já verás, tudo está bem.
Redescobrirás o meu coração,
E nele redescobrirás a ternura mais pura.
Seca tuas lágrimas e se me amas,
Não chores mais.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

CRÔNICA DO MÊS DE AGOSTO






imagem de arquivo
E agosto chegou com ares de bons amigos,
Um céu límpido e transparente contrastando com o verde da natureza.

Um ar tão mais ameno com o sol já desde manhãzinha trazendo presságios de alegria e vida nova.
 Até pareceu-me que a natureza cansada da rigidez do inverno, em surdina, na madrugada saltou para a alegre primavera.
Sonho que se esfumaçou com a manhã enevoada e sol encoberto pelo horizonte cinzento de hoje. 
Eu já estava até estranhando a luminosidade deste final de julho e primeiros dias de agosto. 
Afinal, desde criança que carrego comigo essa cultura de que o oitavo mês do ano é cercado de superstições. Mês do azar, mês do cachorro louco, mês mais feio do ano,  mês ventoso e seco...
Mas, se é mês do cachorro louco ou mês do azar parece-me mais folclore, cultura popular . Mas que é o mês mais feio do ano, ah, isso não vou discutir. 


imagem google

Em agosto predominam os dias enevoados, ar seco e muita poeira trazida pelos ventos característicos do mês.
E foi assim que o dia amanheceu hoje . Um vento frio que cortava os ares, varrendo tudo que encontrava pela frente , brincando com os cabelos da moça toda arrumada em direção ao colégio.
No quintal rodopiam velozmente folhas secas, como a brincar displicentemente. . Um desafio para a mulher que em vão tentava recolhê-las.
Folhas secas que estalam sob os pés do passante apressado...
Folhas secas que levam sonhos, mas trazem também novas esperanças.
Folhas secas que caem e se perdem , mas que sinalizam um final de ciclo. 
Sinalizam também  que com as chuvas que virão logo após, nova vida, novas alegrias surgirão.

 "E assim como os ventos de agosto levam para longe as sementes que germinarão nova vida, que as sementes de amor germinadas em nosso coração possam voar prá terrenos férteis espalhando também muito amor e conforto em outros corações".


imagem google



"Que neste final de inverno e prenúncio de primavera possamos ser como o bambu, que com sua flexibilidade se curva   diante do vento forte e implacável mas não se quebra"





 











sábado, 2 de agosto de 2014

Crônica do mês de julho.


E julho chegou ao fim. 
Caracterizado pelos dias frios e manhãs nubladas próprias da estação, acredito que não vai deixar muita saudade.
A proximidade do mês de agosto traz um certo conforto, na perspectiva de dias mais quentes e agradáveis.
Mas nem só de frio se vive em julho. Porque como em todas as estações, o inverno tem lá suas belezas. 

E o mês de julho não deixou de mostrar também seu lado belo através da natureza que sempre traz um "quê" de primavera.
. Vi muito céu azulado. Tão azul que mais parecia ter ali se derramado um balde de água de anil que o frio das alturas congelou...
Contrastando com o céu de anil vi florescer meu manacá com sua beleza branca , rósea e lilás desafiando o céu azul e atraindo as mamangavas que afoitamente cuidavam da polinização.



 Eucaliptos altaneiros em seu verde intenso querendo tocar o céu azul



Ipês florescendo em meio à rusticidade do inverno


Primaveras anunciando que sempre haverá "primavera" ,  mesmo diante do inverno mais rigoroso

E em meio a essa beleza  vi também o esmaecer de "uma flor"  que a cada dia perdia sua sua cor, sua força sua vida... Uma "flor" que já cansada pela produção intensa,sofrida pela exposição às intempéries acabou por perder o vigor e da vida está a se despedir... 


Uma flor que ainda resiste à rigorosidade de seu inverno e nos  faz sentir literalmente o finalizar das estações...

Assim é a vida: dias floridos, outros ensolarados ou nublados e outros muito frios...
Dias sem sol, dias em que sentimos a vida escapulir...
Mãe, aconteça o que acontecer , você será sempre uma "flor viva" em nosso coração!