terça-feira, 28 de março de 2017

COZINHANDO E ATIVANDO MEMÓRIAS...




Domingo ! Dia de “almoço diferente “ Mesa farta , almoço especial!
E porque não uma polenta ?
Bem , falando assim até parece que vamos a um desses restaurantes especializados nessa iguaria
Sim , porque nos dias de hoje é comum buscarmos a praticidade das coisas , E polenta parece um prato eleborado demais para as cozinhas de hoje . Aliás , muitos dessa nova geração desconhecem esse tal prato .


Mas para muitos , “frango com polenta” evoca lembranças da infância
E é disso que estou falando ! A casa humilde , mas acolhedora , os filhos pequenos em volta do fogão à lenha , minha mãe com seu avental em pé a beira do fogão a lenha , a colher de pau em uma das mãos e a panela de ferro ao fogo aguardando o peneirar do fubá …

Gostava de observar minha mãe concentrada , olhos fixos na panela e seu “peneirar” o fubá . Ma esse “peneirar “ de que falo não utilizava peneira alguma . Até hoje não sei dizer onde encontrava tamanha habilidade em “peneirar “ o fubá na panela de tal forma que mais parecia uma poeira fininha a se assentar na água . 

Enquanto isso , a outra mão habilidosa mexia com a colher de pau de forma rápida e concisa não deixando que o fubá fizesse “grumos “ como ela dizia . 
A mim, parecia mágica !

Mexe que mexe e remexe na panela ! O fogo crepitando ! Depois de algum tempo, o “mingau “ começa a engrossar e pulular no fundo da panela . Era então o sinal de que estava no ponto. Era só virar num prato , e cobrir com o molho do frango caipira que já estava pronto e degustar , de preferência com arroz branco . Uma delícia . Para incrementar o prato , cobria -se a polenta com queijo parmesão ralado e levava-se ao forno para derreter o queijo.

E ao redor da mesa , todos se sentavam e partilhavam aquela simples refeição , mas feita com muito amor e que reunia a família .

E foi em pé à beira do fogão que não é de lenha , mas também com avental à frente que me veio à memoria todas essas lembranças. À minha frente a pequena panela , porque a família já esta reduzida a apenas dois , que me vi rememorando essas lembranças de minha mãe .

O fubá , que também não é fubá , mas sim , polentina que é mais fácil de manusear e não faz “grumos” e a panela que também não é de ferro...
Não herdei de minha mãe certas habilidades na cozinha , como a de “peneirar “ o fubá sem peneira . E seria tolice me por a fazê-lo , porque certamente estragaria o prato.

Então , seguindo a praticidade de nossos dias , utilizei a polentina e fiz uma deliciosa polenta também com frango caipira . Claro que meu frango caipira não chega nem aos pés do molho  de frango da minha mãe , mas eu me esforço e fica também muito bom , apesar de não ser no fogão a lenha .

*********************************************************************************

Uma pequena dica ...

Pesquisei várias receitas de"Polenta com frango" na net e no link abaixo me detive. A autora não só da a  receita,como também de uma forma leve mostra as                                     diferenças entre o"fazer"de antes e  o "fazer " polenta nos dias de hoje . 

Por exemplo o uso da "colher de silicone " em vez da tradicional colher de pau , uma dica prá não se queimar quando a polenta começar a pulular e também para não fazer crostas no fundo da panela como acontecia com nossas mães . 
Mas, recorda a autora ,  há  mães que  ainda insistem em fazer como antigamente . Confiram .





2 comentários:

  1. Boa noite, querida Edite!
    Vc me deu uma excelente dica pois já havia retirado o frango do freezer para amanhã, me apeteceu vendo seu post... com tudo o que vc colocou nele pra ficar bom. Hum!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  2. bom apetite Roselia! Quue bom poder colaborar com seu cardapio.bjs

    ResponderExcluir